Fechar
Icone Newsletter
Endometriose | Conheça os sintomas e tratamentos

Garanta o seu e-book grátis sobre endometriose agora e saiba tudo sobre os sintomas e os tratamentos existentes.

Clique aqui e confira mais e-books gratuitos como, Entenda a infertilidade feminina e guia sobre a fertilização in vitro.
Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 99827-2517 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850

agendamento de consulta

Doação de óvulos

Doação de óvulos

A doação de óvulos ou ovodoação consiste na cessão – de uma mulher para outra – de óvulos, a fim de que sejam fecundados, formem embriões e, posteriormente, sejam transferidos para o útero da receptora, para que a gravidez possa ocorrer.

A doação de óvulos é indicada nos casos de:

Como é realizada a ovodoação?

O óvulos são doados por mulheres que estão em tratamento de Fertilização in vitro e inseminados por ICSI, com os espermatozoides do marido/companheiro da receptora (mãe) e os embriões formados são transferidos para o útero da receptora. Isso se chama doação compartilhada.

A receptora passa por um tratamento para preparo do endométrio (camada interna do útero) antes de receber os embriões. Esse preparo é feito com os mesmos hormônios do ciclo natural, isto é, primeiro o estrogênio e depois a progesterona, de forma controlada.

Como as doadoras devem ter, no máximo, 35 anos, o numero de embriões a ser transferidos é de 2. A transferência de embriões é feita de forma rotineira, utilizando-se um fino cateter e o procedimento é guiado por ultrassom. O teste de gravidez é realizado 9 a 12 dias depois.

As Doadoras

A doação é feita sem vínculo comercial, compartilhada e de forma anônima, isto é, a doadora não pode conhecer ou ter contato com a receptora e vice versa (Resolução do CFM de 2015). As doadoras devem ter no máximo 35 anos, ser saudáveis, sem históricos pessoais ou familiares de doenças hereditárias, sexualmente transmitidas, entre outros. Deve-se haver compatibilidade com o grupo sanguíneo e fator Rh, semelhança fenotípica. A resolução da ANVISA (RDC 33/2006) determina que a doadora deverá ter no máximo 35 anos de idade e ter feito exames para confirmar a ausência de doenças infectocontagiosas.

Quais são os riscos da ovodoação?

Para a doadora, existe um pequeno risco (menor que 1/1000) de desenvolver a Síndrome da Hiperestimulação do Ovário (SHO).

Para a receptora, os riscos são os mesmos da FIV, isto é,  gravidez ectópica (1/1000), e gravidez gemelar (3%).

Cuidados especiais para doadoras e receptoras

Manter hábitos de vida saudável é importante para doadoras e receptoras: evitar beber e fumar, ingerir líquido e ter sono regular são hábitos essenciais. Além disso, tanto doadoras como receptoras devem evitar a prática de atividades físicas, principalmente as de alto impacto, pois podem provocar complicações.

Resultados

O resultado desse tratamento são os mais altos uma vez que a doadora é jovem e o endométrio foi preparado sem interferência dos hormônios utilizados na superovulação. Estão em torno de 55%.

Doação de óvulos
4.3 (85%) 8 votos

Compartilhe:

Tags:

Categorias:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de

ÚLTIMA DO BLOG Ver todos os posts
É possível escolher o sexo do bebê na fertilização in vitro?

Enquanto muitos casais preferem manter a surpresa para a hora do nascimento, outros desejam descobrir se o bebê é menino ou menina o quanto antes, seja por ansiedade, seja para planejar o enxoval. Existem também aqueles que, estando em um […]

Leia mais
Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco