agendamento de consulta

Endometriose

Endometriose

A endometriose é caracterizada pela presença de células do endométrio fora de seu local, sendo o mais comum a cavidade peritoneal. Apesar dos crescentes avanços nos métodos propedêuticos, não existe ainda um tratamento de consenso. De fato, não existe comprovação se a endometriose seria realmente uma doença ou apenas uma situação comum em parte da população.

Causas da Endometriose

Algumas teorias foram propostas para tentar explicar a causa da endometriose, entretanto, o verdadeiro mecanismo permanece indefinido. A teoria mais aceita sugere que o refluxo de células endometriais pelas trompas, durante o período menstrual, seria a fonte dos focos ectópico no peritôneo pélvico. Pode haver também componentes genéticos e imunológicos associados.

Diagnóstico da Endometriose

A suspeita ocorre a partir das queixas clássicas de cólica menstrual progressiva, dor pélvica, dispareunia e infertilidade, sendo que até um terço das mulheres pode ser assintomática.

A associação entre a endometriose e infertilidade tem sido bastante estudada. Entretanto, esta relação foi comprovada apenas nas formas mais avançados, uma vez que os cistos podem levar a formação de aderências, ou a alteração na relação entre os órgãos, e assim impedir a liberação ou o transporte do óvulo.

Nas formas leve e moderado, a causa da infertilidade é ainda incerta, porém alguns estudos sugerem uma alteração no sistema imunológico, que poderiam ocasionar modificações no processo de fertilização ou transporte dos óvulos, espermatozóides ou embriões.

O ultrassom permite suspeitar de endometriose apenas na presença de cistos com mais de 1 cm. O diagnóstico definitivo da endometriose só é realizado através do estudo histopatológico, após biópsia, realizada por cirurgia ou videolaparoscopia.

Tratamento da Endometriose

Para mulheres que não desejam gravidez, as principais indicações para o tratamento são cólica, dor pélvica e dispareunia. Pode ser feita por medicamentos analgésicos e hormônios para inibir o desenvolvimento da endometriose e levar a seu desaparecimento. É importante avaliar a taxa de sucesso e os efeitos colaterais.

A cirurgia tem como objetivo retirar os focos de endometriose e refazer a anatomia, quando esta apresenta-se distorcida. Pode ser feita por cirurgia convencional ou vídeo-laparoscopia. É mais indicada para mulheres que tem a prole definida, devido aos riscos de retirada dos ovários.

Para mulheres com desejo de gravidez, quando as trompas estão normais, realiza-se a indução da ovulação. Tem como objetivos direto se obter a gravidez mais rapidamente, de forma direta e evitando-se os efeitos colaterais dos medicamentos hormonais.

Os mecanismos de ação neste caso são:

Os resultados de gestação com estas técnicas estão em torno de 30 a 35% após 4 ciclos de tentativas

Se existe comprometimento das trompas, quando não houve sucesso na indução da ovulação, ou se a mulher tem idade maior que 35 anos, o tratamento de escolha passa a ser a Fertilização in vitro.

A técnica de Fertilização in Vitro (FIV) apresenta a vantagem de superar qualquer das prováveis causas atribuídas à endometriose para levar a infertilidade. O fato de se retirar os oócitos e colocá-los em contato direto com os espermatozóides, após indução da super-ovulação, permite se observar diretamente a fertilização e formação de embriões e, a transferência dos embriões diretamente para o útero da paciente. As taxas de gravidez são semelhantes às encontradas para as demais indicações de FIV, variando de 15 a 55%, de acordo com a idade da mulher. De maneira semelhante ao descrito acima, pode ser utilizado após falha do tratamento inicial ou diretamente para se obter a gestação mais rapidamente.

O fato de não se haver confirmado se a endometriose, poderia determinar a infertilidade, fez com que o tratamento expectante fosse sugerido. Os resultados deste tipo de tratamento variam de 50 a 90% de gravidez, de acordo com idade da pacientes e tempo de infertilidade.

A vantagem nesta opção terapêutica é a ausência de custo e efeitos adversos, porém a maior desvantagem é o fato de não se poder determinar um tempo específico de espera, devendo ser utilizado somente em mulheres jovens,  com pouco tempo de infertilidade e sem desejo imediato de gestação. Assim, mulheres sem sintomas devem discutir com seu  médico se existe necessidade de tratamento.

Compartilhe:

Tags:

Categorias:

Comentários:


ÚLTIMAS DO BLOG Ver todos os posts
Vitamina B12: os benefícios para a saúde e fertilidade masculina

A vitamina B12, também chamada de cobalamina ou cianocobalamina, está vinculada ao metabolismo de quase todas as células do corpo humano, pela sua relevante função na síntese de DNA. Muitos estudos revelaram os efeitos da vitamina B12 para a saúde do […]

Leia mais

Este post foi visto 84 vez(es).

Por que a dor de ovulação ocorre?

Uma das reclamações mais comuns das mulheres é a dor da cólica. Esse incômodo é sentido por inúmeras mulheres pelo menos uma vez por mês. Entretanto, você sabia que o que você sempre pensou ser cólica pode ser outra coisa? Uma em cada cinco mulheres […]

Leia mais

Este post foi visto 54 vez(es).

Oligospermia: entenda o que é, as causas e os tratamentos

Quando um casal está tentando engravidar e, após 12 meses, não obtém sucesso, é hora de ambos buscarem por ajuda médica. A responsabilidade da gestação faz com que a mulher pense que a culpa é dela. Já o parceiro, depois de tentar por tanto tempo, questiona […]

Leia mais

Este post foi visto 48 vez(es).

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco