agendamento de consulta

Transferência de embriões congelados

Transferência de embriões congelados

Transferência de embriões congelados
Avalie esse artigo:

A criopreservação ou congelamento de embriões é uma técnica aplicada para conservar embriões em temperaturas baixas (-196oC) para que possam ser transferidos para o útero posteriormente, para se conseguir uma gravidez. Esses embriões são formados em ciclos de fertilização in vitro ou fertilização in vitro com injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI).

Podem ser criopreservados quando excedentes, isto é, quando o número de embriões de boa qualidade é maior do que o numero a ser transferido, ou quando existe uma impossibilidade da transferência dos embriões ser feita no ciclo a fresco, assim todos os embriões são criopreservados para serem transferidos em ciclo posterior (Freeze All).

Os embriões criopreservados podem ser utilizados para quais fins?

Os embriões criopreservados com mais de 5 anos podem ser descartados (Resolução CFM no 2.121/2015, artigo V).

Congelamento de Embriões

Os procedimentos de congelamento de embriões evoluíram nos últimos anos e continuam a evoluir. Com a antiga técnica chamada de congelamento lento, a probabilidade de gravidez era menor do que com a transferência de embriões afresco.

A técnica de congelamento de embriões tornou-se mais simples e mais eficaz com o surgimento da técnica de Vitrificação, que conserva muito bem a qualidade embrionária. O índice de sobrevivência após o descongelamento é superior a 90%. Além disso, o índice de gravidez com embriões vitrificados tem se revelado igual ou até superior ao índice de gravidez como resultado de transferência de embriões a fresco.

Quando a paciente opta pelo congelamento tanto de óvulos como de embriões, ela esta optando por não passar novamente pela primeira faze de um tratamento de reprodução assistida, a estimulação ovariana.

A grande vantagem de não se passar novamente por este procedimento, além de se evitar os sintomas e mal estar causados pela administração dos hormônios, evitamos uma possível síndrome do hiperestímulo ovariano, que pode acontecer nesta parte do procedimento.

Síndrome de Hiperestímulo Ovariano (SHEO)

É uma complicação do processo de estimulação ovariana realizada em ciclos de FIV. Nos casos em que existe uma excessiva resposta ovariana à estimulação (mais de 20 folículos), ocorre uma produção muito elevada de hormônio estrogênio.

Quando esses níveis elevados de estrogênio entram em contato com o hormônio da gonadotrofina coriônica (hCG), desencadeia a síndrome. A síndrome pode acontecer nas formas leve, moderada e grave.

Nas formas leve e moderada, existe um desconforto abdominal pelo acumulo discreto de liquido na cavidade peritoneal. Na forma grave, o acumulo de liquido pode ocorrer em diversos órgãos como abdome e pulmão, sendo necessário um tratamento intensivo.

Atualmente, existe uma estratégia terapêutica específica para impedir que essa síndrome ocorra. Para pacientes com risco de desenvolver a sindrome, substituímos o hCG, que é administrado para desencadear a maturação dos óvulos, por agonistas de GnRH. E, também fundamental, não transferimos os embriões para o útero, para que não ocorra a gravidez nesse ciclo e assim não exista a elevação dos níveis de hCG da gravidez.

Todos os embriões serão congelados para serem descongelados e transferidos em ciclo posterior (Freeze All).

Taxas de sucesso

A técnica de vitrificação revolucionou o tratamento da infertilidade. Hoje, a chance de os embriões resistirem ao procedimento de congelamento e posterior descongelamento é superior a 90%, o que oferece boas perspectivas aos casais, pois torna os tratamentos mais seguros e eficazes.

Quando os embriões resistem ao processo de congelamento e descongelamento, a probabilidade de serem implantados no útero é a mesma que se fossem transferidos a fresco.

Avalie esse artigo:

Transferência de embriões congelados
Avalie esse artigo:

Compartilhe:

Tags:

Categorias:


ÚLTIMAS DO BLOG Ver todos os posts
O que é e para que serve a histeroscopia diagnóstica?

O que é e para que serve a histeroscopia diagnóstica?Avalie esse artigo: A histeroscopia diagnóstica tem um nome difícil e, por vezes, vem seguida de apreensão: como é feito o exame? Dói? Por que ele precisa ser feito? Essas são […]

Leia mais

Este post foi visto 32 vez(es).

Você conhece a estimulação ovariana? Entenda mais sobre o assunto!

Você conhece a estimulação ovariana? Entenda mais sobre o assunto!Avalie esse artigo: Ainda cercada de muitas dúvidas e medos — é um procedimento arriscado? Compromete a saúde da mulher? Engorda? E a síndrome da hiperestimulação ovariana, quando acontece? —, a estimulação ovariana […]

Leia mais

Este post foi visto 31 vez(es).

Anticoncepcional de uso contínuo diminui a fertilidade?

Anticoncepcional de uso contínuo diminui a fertilidade?Avalie esse artigo: Muitas mulheres utilizam anticoncepcional de uso contínuo no Brasil. Contudo, muitas delas ainda têm receios sobre a relação desse método com a fertilidade. Em parte, isso ocorre porque os anticoncepcionais evoluíram com o […]

Leia mais

Este post foi visto 25 vez(es).

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco