Agende a sua consulta

Parâmetros seminais: conheça

Por Equipe Origen

Publicado em 23/09/2020

A confirmação de uma gravidez é o sonho de muitos casais. Contudo, apesar de o processo reprodutivo ser natural e fácil para muitas pessoas, existem diversos aspectos envolvidos para que a concepção ocorra — a começar pela qualidade dos óvulos e espermatozoides. Assim, um número mínimo de gametas masculinos, com motilidade e morfologia adequados para que haja uma gravidez.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), com base em muitas pesquisas, oferece o direcionamento para a análise do sêmen. Assim, são instituídos determinados valores de referência que são aplicados na interpretação do exame de espermograma.

Neste post, vamos apresentar os parâmetros seminais definidos pela OMS. Além disso, explicaremos quais são as possíveis alterações em tais valores e de que forma a reprodução assistida pode ajudar a superar as condições associadas!

O que forma o sêmen?

Antes de o sêmen estar completamente constituído e pronto para ser ejaculado, os espermatozoides percorrem um longo percurso no sistema reprodutor masculino.

A espermatogênese (produção dos gametas) ocorre nas glândulas sexuais, os testículos, e depende da ação de hormônios. Em seguida, os espermatozoides são armazenados nos ductos que se localizam atrás dos testículos, os epidídimos, onde amadurecem e ganham mobilidade.

Quando o homem passa por estimulação sexual, os gametas saem dos epidídimos e percorrem os canais deferentes para se juntar aos líquidos das vesículas seminais e da próstata. Os fluídos das glândulas seminais garantem nutrição aos espermatozoides e aumentam sua capacidade de movimento. Já o líquido prostático os protege da acidez dos vestígios urinários que permanecem na uretra, bem como da acidez natural da vagina.

Por fim, após estar formado pelos espermatozoides e fluídos necessários, o sêmen percorre o canal da uretra — onde ainda recebe um líquido lubrificante produzido pelas glândulas bulbouretrais — e é ejaculado.

Quais são os parâmetros seminais normais?

Os parâmetros seminais são avaliados por meio do espermograma. Nesse exame, é possível observar as características físicas do sêmen, bem como a quantidade e a qualidade dos espermatozoides.

Primeiramente, é feita a análise macroscópica, guiada pelos seguintes parâmetros seminais:

  • volume – a amostra coletada deve conter no mínimo 1,5 ml de líquido seminal;
  • cor – a substância em condições normais apresenta coloração branca opalescente, enquanto os tons amarelado, marrom ou avermelhado são indícios de inflamação, uso de fármacos e outras condições;
  • pH – a acidez tolerada fica entre os valores de referência 7,2 e 8,0;
  • liquefação – o tempo esperado para que o líquido passe da consistência espessa para o estado líquido é de 60 minutos.

Em relação às características dos espermatozoides, investigadas na análise microscópica do espermograma, os parâmetros seminais são os seguintes:

  • concentração – cada ml de líquido seminal deve ser constituída por 20 milhões ou mais gametas, enquanto o mínimo esperado na amostra total é de 39 milhões;
  • motilidade – o movimento dos espermatozoides é classificado como: móveis e com progressão linear; móveis com progressão não linear; móveis e sem progressão; imóveis. A motilidade progressiva normal é igual ou superior a 32%. A motilidade total (incluindo todos que se movem de alguma forma) deve ser de no mínimo 40%;
  • morfologia – os aspectos morfológicos adequados consideram a integridade e a proporção de todas as partes, incluindo cabeça oval, peça intermediária e cauda. Pelo menos 4% dos espermatozoides de uma amostra deve apresentar morfologia normal;
  • vitalidade – dentre os gametas observados na análise, 58% deles devem estar vivos.

Se a amostra estiver de acordo com os parâmetros seminais normais, o resultado do espermograma indica normozoospermia. É importante que o paciente conheça os valores de referência para identificar alterações em seu exame. Contudo, a avaliação de um especialista é indispensável.

O que pode alterar os parâmetros seminais?

A análise seminal pode chegar a diferentes resultados. Entre as possíveis alterações detectadas estão:

  • aspermia – ausência de sêmen;
  • azoospermia – ausência de espermatozoides no sêmen;
  • oligozoospermia – número insuficiente de espermatozoides;
  • teratozoospermia – quantidade insuficiente de gametas com boa morfologia;
  • astenozoospermia – maior parte de gametas imóveis ou com pouca motilidade;
  • necrospermia – maior parte dos espermatozoides sem vitalidade.

Dentre os quadros citados, a azoospermia é considerada um fator grave de infertilidade masculina. As causas do problema são várias, o que inclui infecções bacterianas, varicocele, disfunções hormonais, cirurgias, traumas locais e outras condições clínicas.

Qual é o papel da reprodução assistida diante de alterações seminais?

Além do espermograma, o paciente diagnosticado com azoospermia, ou outras alterações nos parâmetros seminais, deve passar por uma investigação aprofundada para descobrir a origem do problema. As doenças associadas precisam ser devidamente tratadas com o objetivo de restaurar a fertilidade masculina.

Como alternativa, o casal pode aumentar suas chances de gestação com as técnicas de reprodução assistida. Casos de alterações seminais leves, como na morfologia ou na motilidade dos gametas, podem ter bons resultados com a inseminação intrauterina (IIU) — tratamento que consiste na introdução de uma amostra de esperma diretamente no útero da paciente.

Homens com problemas masculinos graves, sobretudo a azoospermia, precisam de uma técnica mais complexa. A fertilização in vitro (FIV) e alguns de seus procedimentos complementares são as indicações mais efetivas para esses casos.

Na FIV, o paciente com azoospermia passa por técnicas de recuperação espermática para que seus gametas sejam colhidos dos testículos ou epidídimos. Depois disso, os espermatozoides são preparados para a injeção intracitoplasmática (ICSI), procedimento realizado para fertilizar os óvulos com mais chances de gerar os embriões.

Vemos que a observação dos parâmetros seminais é um importante ponto de partida para a definição do tratamento mais apropriado. Conforme as alterações identificadas, é possível escolher as técnicas que trarão mais possibilidades de gestação ao casal.

Obtenha mais informações sobre a infertilidade masculina com a leitura do nosso texto institucional que explica em detalhes o que é azoospermia!