Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 9979-01109 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850 Manhuaçu - MG - (33) 98855-0015

agendamento de consulta

Unidade Belo Horizonte | +55 (31) 2102-6363

Quais são os possíveis sintomas de gravidez?

Quais são os possíveis sintomas de gravidez?

A notícia de uma possível gravidez pode ser recebida de formas diferentes, de acordo com os planos do casal.

Ela pode ser uma gravidez desejada ou acidental, pode ocorrer na primeira ou após muitas tentativas, pode ser resultado de técnicas de reprodução assistida, portanto uma gravidez planejada.

Entretanto, é comum que as pessoas não saibam ou confundam os sintomas de gravidez.

A forma como a mulher se relaciona com determinados sintomas que podem indicar uma possível gravidez varia.

Tais sintomas também podem variar de pessoa para pessoa e, por isso, é importante entender quais são e como eles podem mudar.

É importante mencionar que os sintomas de gravidez também se aplicam para mulheres cuja gravidez seja resultado da reprodução assistida.

Essas mulheres geralmente estão no quadro daquelas que, por causa da infertilidade, estão tentando engravidar há algum tempo.

Tem dúvidas sobre os possíveis sintomas da gravidez? Leia o texto e entenda.

Por que a gravidez é complexa?

A gravidez é uma experiência complexa devido a diversos fatores tanto emocionais quanto físicos. Durante a gestação, o organismo da mulher passa por uma série de mudanças.

A gravidez pode acontecer sem intercorrências. Há casos, no entanto, de mulheres que apresentam problemas que podem levar a uma gravidez de risco.

Além disso, há também mulheres que sofrem abortamento sem saber que ficaram grávidas.

Algumas mulheres também têm a experiência da chamada depressão pós-parto ou sofrem casos de ansiedade.

Por isso, o apoio da família e apoio psicológico é essencial durante essa fase.

Quando começa a gravidez

Você sabe a que momento pode-se determinar que uma mulher está grávida? Para saber quando começa a gravidez e como é possível determiná-la, é importante primeiro saber o que é e como ocorre a fecundação.

A fecundação é definida pelo momento em que o material genético do óvulo e do espermatozoide se fundem.

O óvulo maduro é liberado pelos ovários durante a ovulação para que possa encontrar o espermatozoide e ser fecundado. Essa fase é chamada de período fértil.

A fecundação pode acontecer naturalmente dentro do organismo feminino, em uma das tubas uterinas, ou em laboratório, como ocorre nas técnicas de reprodução assistida, por exemplo na fertilização in vitro (FIV).

Após a fecundação dá-se início ao desenvolvimento do embrião que irá implantar-se na parede uterina.

Esse desenvolvimento costuma ocorrer em até seis dias após a fecundação. É a implantação do embrião na parede uterina que determina o início da gravidez.

Sintomas de gravidez que podem surgir a partir da fecundação

É comum associarmos sintomas de gravidez apenas com a náusea, mas há outros sinais que podem ser observados para determinar uma possível gestação.

Alguns sintomas são mais facilmente perceptíveis, enquanto outros podem demorar mais para aparecer.

O primeiro sinal a ser indicado é o atraso na menstruação.

Esse atraso, entretanto, também pode ser sintoma de outras condições e, por isso, não deve ser considerado como o único sinal de uma possível gravidez.

Os enjoos matinais também fazem parte dos sintomas de gravidez.

Além disso, também pode-se citar o aumento do tamanho e da sensibilidade nas mamas. Algumas mulheres também podem apresentar alteração de cor nas auréolas.

Mulheres que possivelmente estão grávidas também podem verificar um aumento na frequência com que sentem vontade de urinar, assim como prisão de ventre e aumento na quantidade da formação de gases.

As cólicas também podem se fazer presentes em alguns casos.

Outro dos sintomas de gravidez que é amplamente conhecido é o desejo relacionado à comida, geralmente associado com a vontade de comer coisas estranhas que geralmente não fariam parte do cardápio da mulher.

O aumento da libido e da instabilidade emocional também estão associados à gravidez.

Teste de gravidez

É normal que a mulher queira fazer um teste de gravidez logo após perceber o atraso na menstruação, a fim de verificar se há uma possível gestação.

Os testes de gravidez buscam indicar a presença de um hormônio chamado beta-hCG, conhecido como hormônio da gravidez, na urina e no sangue.

Esse hormônio passa a ser produzido a partir do momento que o embrião é implantado na parede uterina. Os laboratórios costumam atribuir de 95% a 99% de eficácia para os testes de farmácia.

Entretanto, fazer o teste de gravidez logo após a relação sexual é ineficiente. Esse teste deve ser realizado cerca de 14 dias após a fecundação, para que o embrião tenha tido tempo de implantar-se na parede uterina e que a produção do hormônio tenha níveis detectáveis na corrente sanguínea.

Relação entre gravidez e menstruação

O atraso da menstruação é tido como um dos principais sintomas de gravidez. Esse atraso ocorre porque o sangue da menstruação é constituído pela descamação da parede uterina quando a gravidez não acontece.

O tecido dessa parede, chamado endométrio, sofre um espessamento que tem como intenção acomodar o embrião.

Quando a implantação não ocorre, esse revestimento é eliminado, ao que chamamos de menstruação.

No entanto, quando a implantação ocorre, esse tecido permanecerá revestindo o útero para que o embrião possa se desenvolver e, assim, a menstruação não ocorre.

Saber sobre os sintomas de gravidez é importante. Compartilhe esse texto em suas redes sociais para que mais mulheres possam saber quais são os sinais de uma possível gestação.

Compartilhe:

Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco

Comunicado

SARS Cov-2 (COVID 19): vacinas, reprodução assistida e grávidas
• Posição atual conjunta •

03 de fevereiro de 2021

Grandes avanços dos estudos colaborativos incluem hoje pelo menos 85 vacinas pré-clínicas em investigação ativa em animais, 65 em ensaios clínicos em humanos, com 20 vacinas que chegaram aos estágios finais de testagem, sendo 12 já em uso em diferentes países/situações. As principais vacinas disponíveis estão constituidas por partículas de RNA mensageiro (Pfizer-Biontech e Moderna), vírus inativado (CoronaVac,Sinopharma e Covaxin, Bharat Biotech), com adenovirus (Oxford-AstraZeneca, Johnson&Johnson e Sputnik V, Gamaleya).

A pandemia segue, e neste momento a discussão se centraliza no uso das vacinas disponíveis e as pacientes submetidas às técnicas de reprodução assistida, grávidas e populações de risco entre as grávidas.

Nossas sociedades, avaliando também as diretrizes emitidas por sociedades mundiais como a ESHRE, a ASRM, a IFFS e a ACOG (SOGC), consideram que dentro da disponibilidade possível:

1) A vacinação tem efetividade e não induz a risco aumentado de contrair a infecção por Covid 19. Embora ainda não hajam estudos humanos de longo prazo sobre a vacinação contra Covid-19 e gravidez, nenhuma das vacinas contém vírus Sars Cov-2 vivo.

2) Para indivíduos vulneráveis,que apresentam alto risco de infecção e / ou morbidade por COVID-19, dentre os quais estão as grávidas, não receber a vacina supera o risco de ser vacinado, previamente ou durante a gravidez. Inclui-se ainda neste grupo os profissionais de saúde e aqueles outros, de linha de frente, com maior risco de exposição.

3) Não há razão para atrasar as tentativas de gravidez ou tratamentos de reprodução assistida quando de vacina não disponível ou se pacientes fora de grupos de risco.

4) Decisões da utilização (ou não) das vacinas devem ser compartilhadas entre pacientes e médicos, respeitando-se os princípios éticos de autonomia, beneficência e não maleficência.

5) Esta informação sobre vacinas deve ser incluidas como um termo específico em um consentimento informado já existente. Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA

6) Seguirão atualizações, a cada momento que novos conhecimentos solidifiquem os dados atuais.

  • REDLARA - Red Latinoamericana de Reproducción Asistida
  • SBRA - Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
  • SAMeR - Sociedad Argentina de Medicina Reproductiva
  • AMMR - Asociación Mexicana de Medicina de la Reproducción
  • PRONÚCLEO - Associação Brasileira de Embriologistas em Medicina Reprodutiva
  • SAEC - Sociedad Argentina de Embriología Clínica
  • SOCMER - Sociedad Chilena de Medicina Reproductiva
  • ACCER - Asociación de Centros Colombianos de Reproducción Humana
  • SURH - Sociedad Uruguaya de Reproducción Humana
  • AVEMERE - Asociación Venezolana de Medicina Reproductiva y Embriología

Referências
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x