Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 99650-0786 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850 Manhuaçu - MG - (33) 98855-0015

agendamento de consulta

Unidade Belo Horizonte | +55 (31) 2102-6363

Conheça os 6 principais tratamentos para infertilidade masculina

Conheça os 6 principais tratamentos para infertilidade masculina

Nem sempre a dificuldade de engravidar é resultado de um problema com a mulher. Pelo contrário, os tratamentos para infertilidade masculina têm sido cada vez mais procurados pelos homens, uma vez que eles já correspondem a pelo menos 40% dos casos de infertilidade em casais.

Mas você sabe quais são os tratamentos mais adequados? A verdade é que a forma de tratar depende muito da causa do problema. Por isso, no post de hoje, veja 6 formas de tratar a infertilidade masculina. Confira!

1. Medicamentos

Antes de tudo, é preciso fazer uma série de exames para determinar quais as causas da infertilidade. Muitas delas podem ser tratadas apenas com o uso de medicamentos. É o caso das infecções no aparelho reprodutor, que reduzem a quantidade e a qualidade dos espermatozoides no sêmen. O tratamento pode ser feito com o uso de antibióticos.

Quando o problema está na dificuldade ou na ausência de ejaculação, podem ser indicados medicamentos como a efedrina e a fenilpropanolamina. Se a medicação não for suficiente, pode ser necessária uma cirurgia.

2. Tratamento hormonal

A infertilidade pode ocorrer se o homem não produzir espermatozoides suficientes por deficiência de hormônios. Isso pode ocorrer tanto por problemas genéticos quanto por distúrbios na tireoide, uso de anabolizantes ou medicamentos, ou, ainda, como consequência de tumores na hipófise.

Nesses casos, é necessário fazer uma terapia hormonal, que geralmente dura 3 meses. São administrados medicamentos com os hormônios que regulam a produção dos espermatozoides.

3. Cirurgias

varicocele é responsável por mais da metade dos casos de infertilidade masculina. Ela provoca uma dilatação dos vasos sanguíneos da região dos testículos, o que dificulta a produção e a liberação dos espermatozoides.

O tratamento indicado é uma cirurgia para a ligação dos vasos dilatados, interrompendo o fluxo sanguíneo por essas veias. O procedimento é bem simples, sem a necessidade de internação. O paciente pode retornar às atividades normais em apenas uma semana.

Outras cirurgias podem ser feitas quando os tratamentos hormonal ou medicamentoso não funcionam. Tudo vai depender do diagnóstico e de como o organismo responde ao tratamento.

4. Inseminação artificial

O procedimento pode ser indicado quando, depois de o médico tentar os tratamentos mencionados anteriormente, o paciente não libera espermatozoides suficientes.

O homem faz a coleta do esperma em laboratório por masturbação e esse material passa por preparação para posterior aplicação diretamente no útero.

5. FIV (Fertilização in vitro)

Assim como na inseminação artificial, os espermatozoides também são colhidos por ejaculação. A diferença é que a fecundação é feita em laboratório, com os espermatozoides preparados colocados junto dos óvulos — os embriões formados são transferidos ao útero.

FIV (fertilização in vitro) é recomendada para quando o homem apresenta uma alteração importante no sêmen, com diminuição na quantidade, motilidade e/ou morfologia.

6. ICSI

A ICSI é uma variação da FIV. Quando a técnica é indicada, ela substitui o método clássico de fertilização. Na ICSI, um espermatozoide previamente selecionado é injetado diretamente no citoplasma do óvulo, o que aumenta as chances de fecundação.

Esse tratamento é indicado quando o homem tem uma alteração grave no espermograma.

Ou seja, os tratamentos para infertilidade masculina dependem muito das causas. Por isso, é fundamental procurar um médico especialista para tratar da maneira mais adequada, o mais cedo possível.

Quer saber mais sobre infertilidade? Entre em contato conosco e conheça os melhores tratamentos.

Compartilhe:

Se inscrever
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
o mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
carol
9 meses atrás

queria saber se tem tratamento pra infertilidade se o homem tiver caxumba no saco

Editor
Clínica Origen
4 meses atrás
Reply to  carol

Carol! Após o seu marido estar curado da caxumba o indicado é que ele procure um especialista para avaliar como está a fertilidade dele.

Francisca maria amorim dos santos
6 meses atrás

Ja vou fazer 40anos i n consegui engravidar.mas o poblema ta nu esposo deu baoxo a quantidade de esperma

Editor
Clínica Origen
5 meses atrás

Olá, Francisca. Existem tratamentos para infertilidade masculina, uma avaliação é necessária. Agende uma consulta para que possamos ajuda-los. Atenciosamente equipe Origen.

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco

Comunicado

Nota conjunta com atualização de posicionamento sobre a COVID-19 e os tratamentos de reprodução assistida

Informações complementares à nota emitida em 21 de março de 2020

A Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida – SBRA e a Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA, acompanhando as demais sociedades mundiais e face à presença da pandemia de Covid-19, emitiram comunicado em 17 e 21 de março de 2020. Globalmente, e na América Latina não foi diferente, ciclos iniciados foram completados, decisões de congelamento tomadas, transferências discutidas e, na maioria das vezes, postergadas. Desde o início, entendemos que poderiam haver situações a serem individualizadas, como os casos oncológicos, em que pacientes necessitariam com urgência da preservação de seus gametas previamente a procedimentos cirúrgicos ou eventual quimioterapia que pudesse afetar sua fertilidade futura. Ao mesmo tempo, havia outros casos susceptíveis de individualização.

Passados 30 dias, com novos dados sobre a Covid-19, reconhecendo novos cenários para diferentes países, regiões ou cidades, além da realidade de um período claro de extensão da pandemia, que a infertilidade é definida pela OMS como doença, assim como a própria OMS define o direito de autonomia dos pacientes e:

CONSIDERANDO que, sob a luz de novas evidências científicas, este posicionamento deverá seguir sendo atualizado em momentos sucessivos;

CONSIDERANDO que, segundo a literatura médica, não se identificou até o momento a presença de vírus nos gametas e tratos genitais masculino ou feminino;

CONSIDERANDO que, até o momento, não há evidências a respeito das repercussões do Covid-19 sobre a gestação inicial;

CONSIDERANDO a preocupação com relação às evidências científicas emergentes quanto à possibilidade de transmissão vertical – isto é, da mãe para o bebê;

CONSIDERANDO que os serviços de reprodução assistida devam seguir as recomendações governamentais, respeitando as particularidades locais;

CONSIDERANDO a observação das medidas de distanciamento social, com cuidados na preservação dos pacientes e equipes, quando da assistência;

CONSIDERANDO as condutas para mitigar a sobrecarga do sistema de saúde local;

CONSIDERANDO que o adiamento dos tratamentos de reprodução assistida abrange determinados casos extremamente sensíveis ao tempo e, portanto, inadiáveis, com risco de condenar pessoas a uma infertilidade irreversível – ou seja, esterilidade; e

CONSIDERANDO o respeito à autonomia do paciente,

RECOMENDAM que ciclos de reprodução assistida possam ser realizados sob juízo do profissional assistente, em decisão compartilhada com os usuários do serviço, de forma personalizada, fundamentados e bem documentados, com precaução e bom-senso, evitando-se transferências embrionárias neste momento.

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida – SBRA
Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA


Referências