Agendamento de consulta

Unidade Belo Horizonte | +55 (31) 2102-6363

Epididimite: entenda como identificar os sintomas e diagnosticar

Epididimite: entenda como identificar os sintomas e diagnosticar

A epididimite é uma inflamação do tubo (epidídimo) que liga o testículo ao canal deferente, responsável por armazenar e transportar os espermatozoides.

Essa doença afeta homens de todas as idades, mas tem maior incidência nos de 18 a 35 anos. Ela é causada, geralmente, por uma infecção bacteriana sexualmente transmissível ou, às vezes, não há infecção.

Conheça as características da epididimite

A epididimite afeta muitos homens por ano. Seu principal sintoma é o inchaço da bolsa escrotal. A doença é dividida em duas classes: aguda e crônica. No primeiro caso, os sintomas duram menos de seis semanas. A crônica, por sua vez, apresenta sintomas que costumam ultrapassar esse período.

Geralmente, a dor começa em um testículo e expande para ambos gradativamente. A intensidade da dor varia conforme o tempo que o epidídimo está inflamado, podendo ser aguda ou apenas uma queimação.

Dentre as consequências da doença, destacamos a infertilidade masculina. Por essa razão, todo cuidado precisa ser tomado quando os sintomas forem percebidos.

Veja quais são os principais sintomas da doença

O homem que tem epididimite começa a apresentar sintomas sutis, como febre baixa, calafrios e, por vezes, sensação de peso na área do testículo.

Com o tempo, a região fica sensível à pressão e torna-se dolorosa. Vale frisar que a infecção no epidídimo pode se espalhar para o testículo facilmente e, por isso, identificar os sintomas é crucial.

Os sinais mais comuns são:

É possível que a epididimite seja acompanhada por fraqueza, perda de apetite e dores nas articulações.

Saiba como a epididimite pode ser diagnosticada

A partir do momento que o homem identifica os primeiros sinais da epididimite é preciso procurar imediatamente um médico urologista. Nesse caso, o primeiro exame realizado pelo profissional é o físico, que tem a finalidade de detectar o inchaço nos testículos, secreção uretral e gânglios linfáticos.

Há também outros exames que complementam o diagnóstico, como os de sangue, urina e de imagens.

Entenda como é feito o tratamento

Como a epididimite é uma doença causada, normalmente, por bactérias, o tratamento é feito à base de medicamentos antibióticos prescritos pelo médico. Todo o processo dura cerca de três meses para tratar completamente a doença.

Além disso, durante o tratamento, o homem precisa repousar e, se as dores forem muito intensas, é possível aplicar compressas de gelo na região.

As chances de reincidência da epididimite em caso de tratamento parcial são grandes, por isso o paciente não deve interromper o tratamento antes de concluí-lo. Depois de algumas semanas é preciso retornar à consulta para que o médico verifique se a infecção foi curada definitivamente.

Uma das formas mais importantes de prevenir a epididimite é evitando Infecções Sexualmente Transmissíveis. Por isso, é preciso sempre praticar sexo seguro. O mais indicado é conversar com o médico para que ele indique outras formas para evitar a doença.

Gostou das informações deste post? Então aproveite para seguir as nossas redes sociais e ficar sempre por dentro de todas as novidades. Estamos no FacebookGoogle Plus e Instagram!

Compartilhe:

Se inscrever
Notificação de
10 Comentários
mais antigo
o mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
João Carlos
1 ano atrás

Muito bom me ajudou-me muito

Editor
Clínica Origen
1 ano atrás
Reply to  João Carlos

É uma alegria para nós ajudá-lo com nosso conteúdo!
Preparamos tudo com muito carinho e responsabilidade.

Douglas
1 ano atrás

Boa tarde !
Eu tenho epididimite a praticamente a 2 anos, porém nunca tive corrimento e nem ardência ao urinar. Já já realizei os seguintes exames;

  • Ecografia das vias urinárias.
  • Ecografia da próstata via abdominal.
  • Ecografia da próstata via transretal.
  • Urina.
  • Urocultura.
  • Espermocultura.
  • PSA.
  • HIV.
  • Hepatite B/C.
  • Sífilis.
  • LDH.
  • HCG.
  • Alfa Fetoproteina.
  • Uretrocisgrafia.
  • Chlamydia Trachomatis PCR.
  • Mycoplasma Genitalium PCR.
  • Mycoplasma Hominis PCR.
  • Neisseria Gonorrhoeae PCR.
  • Trichomonas Vaginalis PCR.
  • Ureaplasma Parvum PCR.
  • Ureaplasma Urelyticum PCR.

Todos esses exames deram negativo.
Mas ainda estou com o problema, faço o tratamento e de 28 dias com Ciprofloxacino e depois ela volta de novo.

Editor
Clínica Origen
1 ano atrás
Reply to  Douglas

Douglas, sentimos muito pelas complicações que tem passado.
Infelizmente, não podemos dá-lo um diagnóstico ou parecer por aqui.
Recomendamos que siga seu tratamento e investigações médicas, seja com o profissional que o atende no momento ou com um novo.
O importante é não desistir e seguir cuidando-se.

Joao
11 meses atrás

A epididimite atrapalha sexualmente?

Editor
Clínica Origen
11 meses atrás
Reply to  Joao

Sim, João. Entre os sintomas da epididimite, é comum que haja dor durante as relações, inclusive ao ejacular, podendo até mesmo ter sangue junto ao esperma.
É muito importante que, além dos check-ups periódicos de saúde, ao identificar os sintomas um profissional seja procurado, beleza?

Matheus
8 meses atrás

Como pegamos essa doença ? Nunca fiz nada que pudesse pegar isso e do nada isso apareceu em mim

Editor
Clínica Origen
2 meses atrás
Reply to  Matheus

Matheus, a forma mais comum de contágio é através de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).
Mas, é importante que você converse sobre isso com um urologista.

Graça Manuel
4 meses atrás

Bom tarde ilustre tenho uma informação no testículos direito já algum tempo. Mas não meda dor

Editor
Clínica Origen
2 meses atrás
Reply to  Graça Manuel

Mesmo que os sintomas não estejam graves no momento, é importante que o Sr. busque tratamento com o urologista, está bem? 😉

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco

10
0
Would love your thoughts, please comment.x