agendamento de consulta

Gestação independente: o que é preciso saber sobre o assunto?

Gestação independente: o que é preciso saber sobre o assunto?

Gestação independente: o que é preciso saber sobre o assunto?
Avalie esse artigo:

A gestação independente é a escolha por se tornar mãe sem um parceiro. Para isso, a mulher deve recorrer a um doador de sêmen e passar por tratamento com inseminação ou técnicas de fertilização.

Por que mulheres estão escolhendo gerar seus filhos sem o auxílio de um parceiro? Em geral, a maioria delas toma essa decisão por causa da idade tardia ou por relacionamentos malsucedidos.

Antes de decidir se tornar mãe sem um parceiro, é importante que a mulher analise seu contexto de vida. Buscar o apoio da família e dos amigos, assim como administrar bem a vida profissional, são dois fatores imprescindíveis para manter o equilíbrio, uma vez que a gestação exige muitas responsabilidades.

Neste post, abordaremos informações importantes sobre a gestação independente que ainda geram dúvidas nas mulheres. Continue a leitura e confira!

Como funciona o procedimento?

O primeiro passo após a escolha de se tornar mãe independente é procurar um médico especialista. Ele solicitará diversos exames para avaliar o funcionamento do aparelho reprodutor e selecionar o melhor método de concepção, de acordo com a indicação.

Durante esse processo, a mulher deve fazer a escolha do doador anônimo. Posteriormente, a amostra vai para o laboratório de reprodução assistida em que a paciente será submetida ao tratamento escolhido.

Como é feita a escolha do doador?

A paciente seleciona o doador a partir dos dados do banco de sêmen. O doador é anônimo, portanto não participa das decisões e não é considerado pai.

Quais são os tipos de tratamentos indicados nesses casos?

Os métodos de reprodução assistida utilizados são a inseminação intrauterina (IIU) e a fertilização in vitro (FIV).

Inseminação intrauterina

Também chamada de inseminação artificial, a IIU é uma técnica de reprodução assistida em que o sêmen é depositado diretamente dentro do útero da mulher, facilitando a fecundação.

Fertilização in vitro

Atualmente, é a técnica mais eficaz. Nela, a fecundação ocorre em ambiente laboratorial e depois é feita a transferência do embrião para o útero materno.

FIV é a técnica que tem as maiores taxas de sucesso e é mais indicada para mulheres que apresentam problemas ligados às tubas uterinas, endometriose ou idade avançada, devido à baixa reserva de óvulos.

A gestação independente é regulamentada?

O método de gestação independente é regulamentado pelas normas éticas estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Essas normas estão definidas na Resolução CFM n° 2.168/17, que adota regras em defesa do aperfeiçoamento das práticas e da observância aos princípios éticos e bioéticos que ajudam a trazer maior segurança e eficácia a tratamentos e procedimentos médicos.

Por fim, ao optar pela gestação independente, é necessário que a mulher passe pela avaliação de um médico especialista em reprodução assistida. O acompanhamento vai proporcionar acolhimento e oferecer as melhores opções dentro da medicina reprodutiva.

Além disso, a própria clínica de fertilidade oferecerá apoio psicológico, a fim de manter o equilíbrio emocional, social e financeiro com a chegada de um filho.

Agora, que você entende melhor sobre a gestação independente, já pode entrar em contato com a gente e conhecer nossos tratamentos. Basta acessar nossa página!

Avalie essa postagem:

Gestação independente: o que é preciso saber sobre o assunto?
Avalie esse artigo:

Compartilhe:

Tags:

Categorias:


ÚLTIMAS DO BLOG Ver todos os posts
O que é e para que serve a histeroscopia diagnóstica?

O que é e para que serve a histeroscopia diagnóstica?Avalie esse artigo: A histeroscopia diagnóstica tem um nome difícil e, por vezes, vem seguida de apreensão: como é feito o exame? Dói? Por que ele precisa ser feito? Essas são […]

Leia mais

Este post foi visto 32 vez(es).

Você conhece a estimulação ovariana? Entenda mais sobre o assunto!

Você conhece a estimulação ovariana? Entenda mais sobre o assunto!Avalie esse artigo: Ainda cercada de muitas dúvidas e medos — é um procedimento arriscado? Compromete a saúde da mulher? Engorda? E a síndrome da hiperestimulação ovariana, quando acontece? —, a estimulação ovariana […]

Leia mais

Este post foi visto 31 vez(es).

Anticoncepcional de uso contínuo diminui a fertilidade?

Anticoncepcional de uso contínuo diminui a fertilidade?Avalie esse artigo: Muitas mulheres utilizam anticoncepcional de uso contínuo no Brasil. Contudo, muitas delas ainda têm receios sobre a relação desse método com a fertilidade. Em parte, isso ocorre porque os anticoncepcionais evoluíram com o […]

Leia mais

Este post foi visto 25 vez(es).

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco