Fechar
Icone Newsletter
Endometriose | Conheça os sintomas e tratamentos

Garanta o seu e-book grátis sobre endometriose agora e saiba tudo sobre os sintomas e os tratamentos existentes.

Clique aqui e confira mais e-books gratuitos como, Entenda a infertilidade feminina e guia sobre a fertilização in vitro.
Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 99827-2517 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850

agendamento de consulta

Hormônio antimülleriano: como é feita a dosagem?

Hormônio antimülleriano: como é feita a dosagem?

A partir do momento que casais começam a investigar os motivos pelos quais estão com dificuldades para engravidar, alguns parâmetros iniciais devem ser observados. Nesse contexto, a dosagem do hormônio antimülleriano (HAM) é um fator importante que deve ser analisado, já que ele é capaz de revelar a condição da reserva ovariana da mulher, fator fundamental para a fertilidade.

Você já ouviu falar desse hormônio? Continue acompanhando este artigo para saber mais sobre o HAM e como a dosagem é realizada!

O que é e qual a função do hormônio antimülleriano?

Para compreendermos como esse hormônio é importante para tratamentos de fertilidade, primeiro precisamos entender o que é e qual sua função.

O hormônio antimülleriano é uma glicoproteína que, no organismo feminino, serve como marcador da reserva ovariana em virtude de sua ação.

Os folículos são estruturas que contêm os óvulos em seu interior. Os folículos se desenvolvem, durante o ciclo menstrual, até atingirem o tamanho de aproximadamente 2 cm. Quando atingem esse tamanho, eles se rompem (ovulação) e liberam o óvulo que está em seu interior.

A mulher nasce com todos os folículos que irá utilizar durante a vida, sem que haja produção de novos folículos. Assim, os pequenos folículos dentro dos ovários produzem o hormônio antimülleriano para controlar o número de folículos disponíveis para crescimento a cada ciclo menstrual. Dessa forma, quanto mais folículos dentro dos ovários, mais elevado será o nível de HAM. Se a quantidade (reserva) for baixa, o nível se HAM será baixo.

Por isso, o HAM é um importante marcador da reserva ovariana.

Com o passar do tempo, a quantidade de folículos diminui, e com isso o nível de HAM também.

Como a dosagem é realizada?

Os níveis desse hormônio são avaliados por exame de sangue e podem ser analisados em qualquer fase do ciclo menstrual, pois não ocorrem variações significativas.

Níveis muito baixos demonstram uma baixa reserva folicular e sugerem que a resposta dos ovários à estimulação com hormônios será limitada. Níveis elevados mostram uma boa reserva com uma boa expectativa de resposta ovariana ao estímulo.

Dessa forma, esse é um exame solicitado com frequência dentro do contexto da reprodução assistida.

Qual é a relação da dosagem com os tratamentos de reprodução assistida?

Os níveis sanguíneos de HAM podem auxiliar no planejamento da dose de hormônios a ser utilizada durante o tratamento de infertilidade. Isso se chama individualização do tratamento. Cada mulher pode apresentar diferentes níveis do hormônio no organismo, portanto é importante fazer sempre essa avaliação.

Como podemos perceber, é possível prever a resposta ovariana à estimulação durante os tratamentos de infertilidade e preservação da fertilidade por meio da avaliação do hormônio.

A estimulação ovariana é uma etapa importante para todas as técnicas de reprodução assistida, portanto a dosagem do hormônio antimülleriano é um exame fundamental para sabermos como o organismo feminino responderá ao procedimento.

Compreendeu como a dosagem do HAM é realizada e qual sua importância para o tratamento da reprodução assistida? Então que tal conferir nosso post sobre dosagens hormonais?

Hormônio antimülleriano: como é feita a dosagem?
5 (100%) 1 voto

Compartilhe:

Tags:

Categorias:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de

ÚLTIMA DO BLOG Ver todos os posts
Quais são os principais sintomas do aborto?

Uma em cada seis mulheres sofre aborto espontâneo, uma das complicações mais comuns do primeiro trimestre da gravidez. As causas mais comuns associadas à perda de gravidez são as malformações uterinas e as alterações genéticas. Em uma grande parte das […]

Leia mais
Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco