agendamento de consulta

Infertilidade primária e secundária: entenda as principais diferenças

Infertilidade primária e secundária: entenda as principais diferenças

Infertilidade primária e secundária: entenda as principais diferenças
Avalie esse artigo:

A infertilidade não é um problema que atinge apenas aqueles que nunca tiveram filhos: há casais que gostariam de aumentar a família, mas, por motivos que surgiram após a gravidez/parto, não conseguem.Cada caso é chamado de forma diferente (infertilidade primária e secundária) e possui algumas características específicas.

Neste texto, vamos explicar a diferença entre infertilidade primária e secundária, apresentando também os fatores que podem levar à infertilidade.

Esterilidade ou infertilidade?

Para começar, é importante ter certeza quanto à diferença entre esterilidade ou infertilidade. Muitas vezes os termos são usados como sinônimos, mas, quando se diz que um casal é estéril, isso significa que ele não tem chances de conceber. Esse conceito vem mudando com o passar dos anos, pois diversas situações que antes eram consideradas como “sem tratamento” atualmente podem ser resolvidas. Por isso, esse termo está cada vez mais em desuso.

A infertilidade representa casais com uma chance menor do que o normal para ter filhos, mas não a impossibilidade de isso acontecer. Com acompanhamento médico e tratamento adequados, um casal infértil pode vir a engravidar e ter filhos.

Ambos os diagnósticos só podem ser dados após um período de tentativas de gravidez sem sucesso. Esse tempo de espera varia de acordo com a idade da mulher. Mulheres com até 35 anos devem esperar 1 ano. Acima dessa idade, devem esperar 6 meses. O diagnóstico preciso e adequado é feito após investigação específica para avaliação da função dos órgãos reprodutivos e gametas (óvulos e espermatozoides). Essa investigação deve ocorrer se o casal tiver relações sexuais regulares sem uso de métodos contraceptivos durante um ano ou seis meses e não obtiver uma gravidez.

Infertilidade primária ou secundária?

Se um casal que nunca teve filhos é diagnosticado “infértil”, a infertilidade deles é primária. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mesmo que a mulher engravide de seu parceiro, se ela não conseguir levar a gestação a termo (ou seja, até o fim), resultando no parto de um bebê vivo, a infertilidade continuará sendo tipificada como “primária”.

Seguindo esta lógica, a infertilidade secundária é aquela que ocorre quando o casal já possui um ou mais filhos. Se após o parto o casal não conseguir uma nova gravidez, o caso é de infertilidade secundária.

É importante frisar que, como a infertilidade pode ser decorrente de questões de saúde tanto do homem quanto da mulher, ao fazer a avaliação inicial da situação considera-se o casal como uma unidade.

Quais as causas?

Há diversos fatores que podem levar à infertilidade. Elas são divididas em causas femininas, masculinas e conjuntas. Entre as femininas estão a falta de ovulação, obstrução das trompas, alterações anatômicas do útero (miomas, pólipos, infecções) e endometriose.

Entre as causas masculinas estão problemas de motilidade dos espermatozoides, baixa produção de gametas ou produção de espermatozoides com alterações morfológicas.

A combinação de fatores femininos e masculinos leva à infertilidade provocada por causas conjuntas e há ainda um número de casos cuja causa não é identificada, que são classificadas como infertilidade sem causa aparente.

Todos estes fatores podem provocar infertilidade primária e secundária.

Muitas vezes, há o agravante da idade: como os óvulos envelhecem com a mulher (são produzidos quando ela ainda é um feto, enquanto os espermatozoides são produzidos ao longo da vida do homem), à medida que a mulher envelhece, a qualidade dos gametas cai, diminuindo a chance de gravidez.

Dicas sobre como fazer isso ou mais informações sobre questões relacionadas à fertilidade e a gestações você encontra em nossos perfis nas redes sociais. Acompanhe-nos no Facebook, no Google+ e no Instagram.

Avalie essa postagem:

Infertilidade primária e secundária: entenda as principais diferenças
Avalie esse artigo:

Compartilhe:

Tags:

Categorias:


ÚLTIMAS DO BLOG Ver todos os posts
Mito ou verdade: café pode provocar aborto?

Mito ou verdade: café pode provocar aborto?Avalie esse artigo: Durante a gravidez, ou até mesmo no preparo para a concepção, é comum que as futuras mães busquem uma alimentação mais balanceada e saudável, evitando substâncias que possam prejudicar a evolução da gestação e […]

Leia mais

Este post foi visto 112 vez(es).

Vitaminas e fertilidade masculina: conheça 4 que podem auxiliar

Vitaminas e fertilidade masculina: conheça 4 que podem auxiliarAvalie esse artigo: Os espermatozoides são produzidos nos testículos. O processo de produção e maturação demora cerca de 70 dias. Eles possuem algumas características específicas que são essenciais para sua qualidade e para a fertilidade. […]

Leia mais

Este post foi visto 109 vez(es).

Descubra o que é a síndrome de Klinefelter

Descubra o que é a síndrome de KlinefelterAvalie esse artigo: Pouco conhecida, a síndrome de Klinefelter está entre as causas de infertilidade masculina. Trata-se de uma alteração genética caracterizada pela presença de um cromossomo X extra no par sexual. Ou seja, […]

Leia mais

Este post foi visto 105 vez(es).

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco