Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 99650-0786 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850 Manhuaçu - MG - (33) 98855-0015

agendamento de consulta

Unidade Belo Horizonte | +55 (31) 2102-6363

Quando devo procurar um especialista em fertilidade feminina?

Quando devo procurar um especialista em fertilidade feminina?

Hoje em dia, os casais que apresentam dificuldades para ter filhos encontram, no especialista em fertilidade feminina, a chance de realizar o sonho da maternidade e da paternidade.

Isso porque os avanços da medicina reprodutiva oferecem algumas possibilidades de tratamento que ajudam a mulher a engravidar.

Mas quando é importante procurar um especialista em fertilidade feminina?

Pensando no assunto, separamos abaixo alguns dos principais fatores que podem influenciar na dificuldade de engravidar e que demandam tratamento com o profissional adequado. Confira!

Período de tentativas muito longo

O primeiro indicativo de problemas de infertilidade é o período de tentativas.

Por mais que sejam altas as chances de a mulher não engravidar em uma relação sexual, pode ser que aconteça a fecundação do óvulo pelo espermatozoide após algumas tentativas sucessivas.

No entanto, se o casal vem mantendo relações sem o uso de métodos contraceptivos por, pelo menos, 12 meses, é possível que um deles tenha problemas de fertilidade.

Logo, o mais indicado é procurar um médico especialista para que ele realize uma avaliação da fertilidade da mulher e do homem.

Idade avançada da mulher

É importante destacar que a idade é um fator extremamente relevante quando se está tentando engravidar. Assim, é natural que haja uma progressiva diminuição da fertilidade feminina com o passar do tempo, sendo 35 anos a idade em que começam a diminuir acentuadamente as chances de uma gravidez.

Por isso, no caso de insucesso, quando a mulher tem uma idade avançada, não é preciso que o casal aguarde um ano. É recomendável, nesse caso, que a consulta a um especialista em fertilidade feminina seja antecipada. Essa procura deve acontecer após seis meses de tentativas.

O profissional solicita uma avaliação e, a partir dos resultados obtidos, indica opções de tratamento para a paciente.

Ciclo menstrual irregular ou anovulação

Outra causa comum da dificuldade que algumas mulheres têm para engravidar é a irregularidade do ciclo menstrual ou a anovulação.

Mensalmente, o corpo feminino em idade fértil se prepara para uma possível gestação por meio de diversas reações fisiológicas.

Todos os processos relacionados à gestação dependem de uma ação hormonal do organismo. Esses processos incluem a liberação do óvulo, a adequação do útero para abrigar uma possível gravidez, a implantação do embrião, entre outros.

Assim, quando o ciclo menstrual não ocorre de maneira regular, é esperado que existam deficiências hormonais no organismo, que, muitas vezes, impedem que a mulher consiga engravidar, o que demanda a procura de um médico especialista em fertilidade feminina para avaliar a situação.

Tabagismo

Além de ser extremamente prejudicial a diversos aspectos da saúde do ser humano, o tabagismo pode também reduzir as fertilidades feminina e masculina. Inclusive, existem estudos que indicam que mulheres que fumam até 20 cigarros por dia têm sua fertilidade reduzida em aproximadamente 25%.

Essa redução da fertilidade ocorre em virtude da liberação de diversas substâncias tóxicas no corpo durante o fumo. A presença desses elementos tóxicos pode afetar a qualidade dos óvulos da mulher, diminuindo as chances de uma gravidez saudável.

Dessa forma, a mulher que fuma deve procurar um especialista em fertilidade feminina para avaliar as chances de engravidar.

Endometriose

Outra possível causa de infertilidade é a endometriose. Por esse motivo, as mulheres que têm a doença precisam ficar alertas aos sinais e procurar imediatamente um tratamento médico.

Caso a paciente tenha tratado uma endometriose, não é necessário que ela aguarde o período de doze meses para procurar um especialista em fertilidade feminina. A mulher já pode passar por uma avaliação o quanto antes.

É importante frisar que a endometriose pode afetar a fertilidade feminina de muitas formas: aderências, trompas obstruídas, inflamação nas estruturas pélvicas, anatomia distorcida da pelve, alteração da qualidade do óvulo e alterações no ambiente hormonal.

Cirurgias ginecológicas

As mulheres que passaram por algum tipo de cirurgia ginecológica, como a retirada de cistos dos ovários, podem procurar um especialista em fertilidade feminina, já que esses tratamentos, por causa da cicatrização no aparelho reprodutor, podem comprometer as tubas, impossibilitando a gestação.

Vantagens de procurar um especialista em fertilidade feminina

Quando os casais encontram dificuldades para engravidar, o médico especialista em reprodução humana pode ajudar em muitos aspectos. Veja, a seguir, as principais vantagens do profissional nessa etapa.

Esclarece dúvidas

É normal que tanto o homem quanto a mulher tenham inúmeras perguntas para fazer ao médico sobre a possibilidade da gestação. Por ser especialista no assunto, o profissional poderá solucionar todas as questões e, até mesmo, tranquilizar o casal já na primeira consulta.

Isso faz com que as demais etapas sejam realizadas de forma mais tranquila, com menos tensão ou preocupação.

Realiza exames e diagnósticos

Depois de levantar o histórico do casal após uma longa conversa, o médico solicita uma série de exames a fim de verificar a fertilidade do homem e da mulher.

Para as mulheres, os principais exames solicitados são os que buscam alterações hormonais ou anatômicas, como o ultrassom transvaginal, a dosagem hormonal e a histerossalpingografia.

Já a fertilidade do homem é avaliada pelo exame de espermograma, que é feito em uma amostra de sêmen.

Com base nos resultados, o médico identifica se um dos dois (ou ambos) tem problemas que impedem a gravidez.

Caso haja alguma dificuldade, existem diversos tratamentos que poderão sanar ou reverter a condição. O especialista indicará o que é mais adequado ao casal.

Acompanha todos os processos

O especialista em fertilidade feminina fará o acompanhamento de todos os processos da gestação, desde a identificação da infertilidade até o tratamento para que a mulher possa engravidar com saúde.

Isso garante mais segurança e tranquilidade ao casal, que poderá recorrer ao médico sempre que tiver dúvidas ou anseios em relação a alguma etapa do tratamento, independentemente do momento.

Oferece as melhores opções para obter a gestação

O especialista em fertilidade feminina tem todos os conhecimentos necessários e que permitem o diagnóstico e o tratamento preciso em cada caso.

A medicina reprodutiva tem possibilitado as melhores opções para quem deseja realizar o sonho de engravidar, porém encontra dificuldades.

Vale frisar que somente o profissional especializado saberá avaliar cada caso, ajudando a identificar as possíveis causas da infertilidade. Isso garante que todo o processo se dará de forma segura, sem riscos e minimizando toda a ansiedade que envolve o momento.

E você? Gostou de saber mais sobre quando se deve procurar um especialista em fertilidade feminina? Então comente abaixo suas experiências sobre o assunto e compartilhe suas vivências!

Compartilhe:

Se inscrever
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
o mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Beatriz
1 ano atrás

Tem em Belém do Pará?

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco

Comunicado

Nota conjunta com atualização de posicionamento sobre a COVID-19 e os tratamentos de reprodução assistida

Informações complementares à nota emitida em 21 de março de 2020

A Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida – SBRA e a Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA, acompanhando as demais sociedades mundiais e face à presença da pandemia de Covid-19, emitiram comunicado em 17 e 21 de março de 2020. Globalmente, e na América Latina não foi diferente, ciclos iniciados foram completados, decisões de congelamento tomadas, transferências discutidas e, na maioria das vezes, postergadas. Desde o início, entendemos que poderiam haver situações a serem individualizadas, como os casos oncológicos, em que pacientes necessitariam com urgência da preservação de seus gametas previamente a procedimentos cirúrgicos ou eventual quimioterapia que pudesse afetar sua fertilidade futura. Ao mesmo tempo, havia outros casos susceptíveis de individualização.

Passados 30 dias, com novos dados sobre a Covid-19, reconhecendo novos cenários para diferentes países, regiões ou cidades, além da realidade de um período claro de extensão da pandemia, que a infertilidade é definida pela OMS como doença, assim como a própria OMS define o direito de autonomia dos pacientes e:

CONSIDERANDO que, sob a luz de novas evidências científicas, este posicionamento deverá seguir sendo atualizado em momentos sucessivos;

CONSIDERANDO que, segundo a literatura médica, não se identificou até o momento a presença de vírus nos gametas e tratos genitais masculino ou feminino;

CONSIDERANDO que, até o momento, não há evidências a respeito das repercussões do Covid-19 sobre a gestação inicial;

CONSIDERANDO a preocupação com relação às evidências científicas emergentes quanto à possibilidade de transmissão vertical – isto é, da mãe para o bebê;

CONSIDERANDO que os serviços de reprodução assistida devam seguir as recomendações governamentais, respeitando as particularidades locais;

CONSIDERANDO a observação das medidas de distanciamento social, com cuidados na preservação dos pacientes e equipes, quando da assistência;

CONSIDERANDO as condutas para mitigar a sobrecarga do sistema de saúde local;

CONSIDERANDO que o adiamento dos tratamentos de reprodução assistida abrange determinados casos extremamente sensíveis ao tempo e, portanto, inadiáveis, com risco de condenar pessoas a uma infertilidade irreversível – ou seja, esterilidade; e

CONSIDERANDO o respeito à autonomia do paciente,

RECOMENDAM que ciclos de reprodução assistida possam ser realizados sob juízo do profissional assistente, em decisão compartilhada com os usuários do serviço, de forma personalizada, fundamentados e bem documentados, com precaução e bom-senso, evitando-se transferências embrionárias neste momento.

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida – SBRA
Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA


Referências