Agende a sua consulta

Receptividade endometrial na FIV

Por Equipe Origen

Publicado em 09/12/2020

O endométrio é a camada de revestimento interno do útero, sendo a mais interna, onde acontece a fixação do embrião para o início da gestação. Durante o ciclo menstrual, ele aumenta sua espessura de acordo com a concentração de hormônios no organismo. Quando atinge a espessura ideal e se encontra saudável, sua receptividade endometrial é maior, assim como as chances de implantação.

Quando a fecundação não acontece, o endométrio é eliminado na menstruação e todo o processo é iniciado novamente em um novo ciclo.

Em alguns casos, pode ser necessário um preparo endometrial para aumentar a receptividade endometrial, uma vez que os hormônios utilizados nos procedimentos podem prejudicar ou impedir implantação. A técnica que utiliza desses métodos é a fertilização in vitro (FIV), considerada de alta complexidade e muito eficiente no tratamento contra a infertilidade feminina e masculina.

Saiba mais sobre a receptividade endometrial, entenda como ela funciona em uma gestação natural e como a FIV pode ajudar nessa situação de forma assistida.

O que é receptividade endometrial?

O endométrio possui papel fundamental na gravidez e é importante que ele esteja em boas condições para que se inicie uma gestação. Ao longo do ciclo menstrual ele é preparado para receber o embrião, aumentando a sua espessura para promover a fixação e o desenvolvimento embrionário.

Quando o endométrio está pronto, significa que está mais receptivo, por isso a denominação de receptividade endometrial. Este momento é o ideal para que ocorra a implantação do embrião.

Este período de maior receptividade é chamado de janela de implantação e pode durar cerca de 3 dias. Em um ciclo regular de 28 dias, ocorre entre o 19º e o 21º dias do ciclo menstrual, que podem ser contados a partir do primeiro dia de menstruação.

O que acontece com a receptividade na FIV?

Durante a FIV diversos procedimentos são realizados para aumentar as chances de sucesso no tratamento. Um dos grandes avanços nessa área é a possibilidade de congelamento de gametas e embriões, que permite que sejam congelados enquanto o organismo é preparado para a gestação.

A FIV é realizada por etapas e tem seu início com a estimulação ovariana, em que uma dosagem hormonal é administrada para aumentar a quantidade de folículos em desenvolvimento, liberando mais óvulos para o procedimento. Em seguida, os óvulos são coletados e selecionados para a fecundação. Os espermatozoides também são coletados e passam por um preparo seminal para que apenas os melhores gametas sejam selecionados.

A fecundação ocorre em laboratório e os embriões são cultivados até que o útero se encontre em momento ideal para a transferência embrionária. A receptividade endometrial é fundamental mesmo na FIV, já que após a implantação do embrião precisa encontrar seu caminho de forma natural e não é possível haver intervenção médica nesse processo.

Em alguns casos, o endométrio não responde adequadamente à medicação. Nesse caso, pode ser necessária a intervenção médica para este momento.

Quando isso acontece, todos os embriões são congelados – “freeze-all” – para uma posterior transferência. Com os embriões preservados, é possível realizar o preparo endometrial e só depois a transferência dos embriões ao útero.

Como é feito o preparo endometrial?

O preparo endometrial é feito com o uso de hormônios estradiol e a progesterona. O objetivo é atingir a maior espessura do endométrio para que ocorra a fixação do embrião.

Com isso, é possível determinar a data em que ocorrerá a janela de implantação, o momento em que o endométrio está mais receptivo. Os embriões são descongelados e transferidos ao útero no momento certo, aumentando assim as chances de sucesso no tratamento.

A interação entre embrião e endométrio é muito importante para o início da gestação e quando ela acontece de forma saudável, a fixação acontece e o feto inicia o seu desenvolvimento. Esse processo ocorre de forma natural e não tem influência da reprodução assistida.

A técnica de congelamento de embriões para a sua preservação enquanto a mulher passa pelo preparo endometrial, visa preservar a saúde da mãe e do feto. O procedimento pode diminuir as chances de abortamento espontâneo, de sangramento durante a gestação e de um parto prematuro com bebês abaixo do peso ideal.

A FIV possui altos índices de sucesso em seu tratamento e seus métodos são escolhidos de acordo com a individualidade da situação, oferecendo todo o suporte físico e emocional para a mulher. Se este material foi útil para você, saiba mais sobre a fertilização in vitro e como ela é feita na reprodução assistida.