Fechar
Icone Newsletter
Endometriose | Conheça os sintomas e tratamentos

Garanta o seu e-book grátis sobre endometriose agora e saiba tudo sobre os sintomas e os tratamentos existentes.

Clique aqui e confira mais e-books gratuitos como, Entenda a infertilidade feminina e guia sobre a fertilização in vitro.
Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 99827-2517 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850

agendamento de consulta

Tubas obstruídas ou com aderência: é possível engravidar?

Tubas obstruídas ou com aderência: é possível engravidar?

As tubas uterinas (ou trompas de Falópio) fazem parte do sistema reprodutor da mulher, e as condições de uma tuba uterina obstruída ou com aderência podem gerar dúvidas quanto ao sucesso de uma gravidez.

Por isso, elaboramos este texto para ajudá-la a entender melhor a função delas no corpo da mulher e a relação entre trompas obstruídas e gravidez. Confira!

O que são tubas uterinas e qual sua função?

As tubas uterinas ligam o útero aos ovários e são divididas em quatro regiões: parte uterina, ampola, istmo e infundíbulo. A parte uterina e o istmo ficam próximos à parede do útero. No infundíbulo está localizado o óstio, orifício responsável por fazer a comunicação com o útero, e é na ampola que ocorre a fecundação.

Semelhantes a um tubo ou canal, as tubas recebem os óvulos liberados pelos ovários e permitem que os espermatozoides cheguem até ele. É nas tubas que ocorre a fecundação. Elas permitem o desenvolvimento embrionário e levam o embrião até o útero, onde ocorrerá a implantação e gestação.

Quando o embrião é fixado na tuba e não no útero, ocorre a gravidez ectópica. Infelizmente, nesses casos, a gestação não pode ser levada adiante, já que o embrião não consegue se desenvolver fora do útero.

Qual é a relação entre trompas obstruídas e gravidez?

As tubas uterinas são fundamentais para que a gravidez aconteça, assim, na presença de obstrução ou aderência, pode haver uma diminuição ou mesmo impossibilidade de gravidez.

Existem diversas causas para o bloqueio das tubas, como deficiências congênitas, lesões ou doenças inflamatórias, endometriose, infecções e cicatrizes decorrentes de cirurgias, por exemplo.

Outra condição que também pode afetar a fertilidade é a presença de aderência das tubas. Nesse caso, elas ficam fixas (aderidas) a algum órgão pélvico ou peritônio, o que impede sua função de captar o óvulo, após a ovulação.

O diagnóstico de obstrução ou aderência pode ser feito com o auxílio da histerossalpingografia, um exame de raios-X após a injeção de contraste pelo útero.

Outra alternativa é a laparoscopia, uma cirurgia que permite ver o útero, as tubas e os ovários e identificar a permeabilidade tubária. Por ser um procedimento cirúrgico, permite, em alguns casos, tratar as aderências.

Como tratar aderências e obstrução nas tubas?

A cirurgia é uma boa alternativa para remover aderências leves e com isso liberar as tubas para sua função normal. Antes de se propor a cirurgia, é importante fazer uma avaliação do casal e confirmar que não existe outra alteração associada. Além disso, é importante que a mulher tenha até 35 anos, para que não haja atraso e piora no prognóstico de gravidez.

Nos casos de obstrução, a cirurgia é indicada para mulheres jovens e, preferencialmente, quando for possível identificar o local da obstrução. É importante descartar outras possíveis causas de infertilidade. Os resultados da cirurgia são bons quando a cirurgia é bem indicada.

Para os casos de obstrução ou aderências, casos em que a cirurgia trará pouca ou nenhuma melhora, o melhor é indicar a fertilização in vitro (FIV), uma vez que, com esse tratamento, as funções das tubas são feitas no laboratório.

Com relação às chances de gravidez, é importante lembrar que a cirurgia pode, no máximo, retornar as chances habituais de gravidez, isto é, 20% ao mês, enquanto com a FIV as chances podem ser de 50%.

Agora você já sabe que a obstrução ou aderência das tubas uterinas pode dificultar a gestação, por isso é sempre importante realizar acompanhamento médico para prevenir ou tratar o problema precocemente.

Tubas obstruídas ou com aderência: é possível engravidar?
Avalie esse artigo:

Compartilhe:

Tags:

Categorias:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de

ÚLTIMA DO BLOG Ver todos os posts
Quais são os principais sintomas do aborto?

Uma em cada seis mulheres sofre aborto espontâneo, uma das complicações mais comuns do primeiro trimestre da gravidez. As causas mais comuns associadas à perda de gravidez são as malformações uterinas e as alterações genéticas. Em uma grande parte das […]

Leia mais
Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco