Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 99827-2517 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850 Manhuaçu - MG - (33) 98855-0015

agendamento de consulta

Unidade Belo Horizonte | +55 (31) 2102-6363

Gravidez com útero bicorno: conheça as condições e cuidados

Gravidez com útero bicorno: conheça as condições e cuidados

Os exames feitos como preparação para gravidez podem trazer resultados inesperados, como o diagnóstico de útero bicorno. Essa é uma das malformações uterinas mais frequentes, e sua incidência varia entre as mulheres férteis e inférteis.

Na maior parte das vezes, esse diagnóstico ocorre após abortos espontâneos repetidos. Porém, em alguns casos, o útero bicorno pode ser observado em um exame de rotina.

No momento de sua descoberta, surgem dúvidas, como: o quanto isso pode afetar a possibilidade de ter filhos? Quais são os tratamentos indicados para esse caso?

Vamos esclarecer algumas dessas dúvidas e fornecer informações para que você possa entender melhor o que é e quais as consequências do útero bicorno para a sua saúde.

Causas da formação do útero bicorno

Os órgãos reprodutivos internos formam-se na menina após a 9ª semana da gestação, a partir da fusão dos ductos de Müller. Um útero normal tem o formato de uma pera, que se liga às tubas uterinas dos dois lados e desemboca no canal vaginal.

Porém, esse processo pode não ocorrer corretamente. Os distúrbios na formação uterina ocorrem em aproximadamente de 2% a 7% das mulheres e podem produzir:

Diagnóstico do útero bicorno

Queixas de fortes cólicas menstruais, sangramento muito intenso, abortos repetidos e infertilidade podem estar ligados a essa malformação. Contudo, muitas mulheres não apresentam sintomas.

histerossalpingografia pode indicar ao médico que há problemas na formação uterina. O diagnóstico definitivo é feito pela histeroscopia. Outros exames de imagem, como a ultrassonografia 3D e a ressonância magnética (RM), também podem ajudar no diagnóstico.

Consequências para a fertilidade

Em geral, os dois cornos desse tipo de útero não têm o mesmo tamanho. Apesar de a implantação do embrião ocorrer normalmente, existe um aumento do risco de ele não se desenvolver, levando a um aborto. O útero bicorno não é a única causa de abortos espontâneos, mas é uma das mais importantes.

Contudo, é no lado maior do útero que estão as maiores chances de desenvolvimento, mesmo que nesse lado o espaço seja insuficiente e o feto tenha dificuldade em crescer para que chegue até o final da gestação. Também será mais difícil a movimentação e o encaixe para o parto.

Em casos raros, pode ocorrer a ruptura da parede do útero conforme a gestação avança devido à pouca capacidade de o músculo uterino se distender.

No entanto, o útero bicorno é considerado um complicador na gestação e no parto, mas não um impedimento. Há relatos de mulheres cuja gravidez e trabalho de parto dão-se normalmente.

Cuidados da gestante com útero bicorno

Um estudo detalhado da condição do útero antes da gravidez é aconselhável. Por meio dos exames, é possível verificar se o canal vaginal é muito curto ou se a capacidade de distensão da parede uterina é baixa. Esses são fatores que levam a complicações na gravidez.

Por se tratar de uma gravidez considerada de risco, no caso da portadora de um útero bicorno, o acompanhamento médico com uma equipe especializada é fundamental para a segurança da mãe e do bebê.

Gostou do artigo? Siga-nos nas redes sociais para se manter sempre informada sobre novos conteúdos. Estamos no FacebookInstagramGoogle + e Whatsapp.

Compartilhe:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco