Fechar

Selecione uma unidade para enviar um Whatsapp:

Belo Horizonte - (31) 9979-01109 Juiz de Fora - (32) 98888-2776 Governador Valadares - (33) 98866-1706 Rio de Janeiro - (21) 99566-1850 Manhuaçu - MG - (33) 98855-0015

agendamento de consulta

Unidade Belo Horizonte | +55 (31) 2102-6363

Quem tem cisto simples no ovário pode engravidar?

Quem tem cisto simples no ovário pode engravidar?

O cisto no ovário é uma alteração ginecológica causada por alguns fatores. Ele é uma bolsa cheia de líquido que se forma ao redor do ovário e que pode provocar atraso na menstruação, dor na região pélvica ou, até mesmo, dificuldade de engravidar. Por isso, muitas mulheres se perguntam se quem tem cisto no ovário pode engravidar.

Essa é uma dúvida frequente entre as mulheres que apresentam essa patologia. Neste post, falaremos sobre sua relação com a fertilidade, seu diagnóstico e seus tratamentos. Acompanhe!

Qual a sua relação com a fertilidade?

O cisto no ovário não causa infertilidade, porém a mulher pode apresentar dificuldades de engravidar em razão das alterações hormonais que podem causar a formação do cisto. Com acompanhamento médico e tratamento adequado, ele tende a diminuir ou desaparecer, facilitando a fecundação.

É importante ressaltar que a mulher que tem cisto no ovário pode engravidar, porém é necessário consultar um ginecologista, pois o cisto pode dificultar ou impedir a ovulação. Quando esse é o problema, com o tratamento adequado aumentam as chances de gravidez.

É fundamental a avaliação médica para diagnosticar e tratar esse tipo de problema. Exames hormonais e ultrassom são importantes para essa investigação.

Como é feito o diagnóstico?

A alteração pode ser diagnosticada por meio de exame ginecológico, caso o cisto de ovário apresente grandes dimensões. No entanto, para ter um diagnóstico mais detalhado, o médico deve solicitar uma ultrassonografia transvaginal e/ou uma ressonância nuclear magnética da pelve.

A ultrassonografia transvaginal é interna, feita com uma sonda, que permite a avaliação mais precisa de todos os órgãos reprodutores femininos pela emissão de ondas sonoras para formar as imagens.

Essas imagens permitem identificar qual o tamanho do cisto de ovário e sua verdadeira composição.

Quais os tratamentos?

Para saber qual o tratamento certo, é necessário saber o tamanho do cisto e sua forma, os sintomas da paciente e sua idade. Em grande parte dos casos, ele desaparece sozinho, sem necessitar de tratamento. O ginecologista pode fazer o acompanhamento regular dos ovários por meio de exame de sangue e ultrassom para avaliar se há a evolução do cisto.

Em muitos casos, o tratamento é feito com o uso de anticoncepcionais. No entanto, se o cisto estiver provocando muitos sintomas e dificuldade de funcionamento do ovário, o médico pode indicar uma cirurgia para retirada do cisto. Em casos mais graves ou com diagnóstico de câncer, é feita a retirada do órgão.

Em síntese, a mulher que apresenta cisto no ovário pode engravidar, porém é preciso procurar um ginecologista e fazer um acompanhamento por meio de exames, a fim de observar o desenvolvimento do cisto. Com um especialista, é possível saber quais procedimentos realizar para tornar o sonho de ser mãe uma realidade.

Você gostou do nosso post sobre cisto no ovário? Então aproveite a visita ao nosso blog para ler o texto Cistos no ovário: quais as causas, sintomas e formas de tratamento e saber mais sobre o assunto!

Compartilhe:

Se inscrever
Notificação de
10 Comentários
mais antigo
o mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Raiane
2 anos atrás

Tenho cisto no ovário e não estou conseguindo engravidar . Oque posso fazer pra engravidar?

Clínica Origen
1 ano atrás
Reply to  Raiane

Olá, Raiane. É necessário passar por uma consulta com um especialista para que seja feita uma avaliação. Não é possível indicar algum tratamento sem exames prévios. Atenciosamente.

Lice
1 ano atrás

Boa noite descobrir tem pouco tempo que tenho um cisto simples no ovário direito e gostaria de saber se eu poço engravidar oh eu tenho que remover ele pra poder engravida

Editor
Maisa Moschin (@maisa)
8 meses atrás
Reply to  Lice

Olá Lice,
A retirada só se faz necessária caso possa prejudicar a gravidez. É preciso procurar um ginecologista e fazer um acompanhamento por meio de exames, a fim de observar o desenvolvimento do cisto.

Ana Luísa Sena Albuquerque
9 meses atrás

Tenho um cisto grande no ovário direito, precisarei de acompanhamento de um cirurgião. Qual a chance de eu engravidar?

Editor
Maisa Moschin (@maisa)
8 meses atrás

Olá Ana Luísa,
O cisto no ovário não causa infertilidade, mas pode causar dificuldades de engravidar em razão das alterações hormonais. Com um especialista, é possível saber quais procedimentos realizar para tornar o sonho de ser mãe uma realidade.
Agende um horário com nossa clínica para uma avaliação
Ligue em um de nosso telefone ou nos chame no WhatsApp.
(31) 2102-6363
(31) 99650-0786

Obrigada!

Erica Pereira da Silva
4 meses atrás

Eu tenho cistos no ovário é o sonho meu e ser mãe

Editor
Clínica Origen (@ana)
3 meses atrás

Seu sonho é possível, Erica!
O cisto no ovário não causa infertilidade, porém a mulher pode apresentar dificuldades de engravidar em razão das alterações hormonais que podem causar a formação do cisto.

Realize acompanhamento com seu médico ginecologista para ter seu quadro avaliado. Em muitos casos, com o tratamento adequado, essas dificuldades podem ser superadas.

Além disso, a reprodução assistida é uma grande aliada para ajudá-la a realizar seu sonho. Então, conte conosco! 😉

Erica Pereira da Silva
4 meses atrás

Mais eu não consigo engravidar o que eu faço

Editor
Clínica Origen (@ana)
4 meses atrás

Olá, Erica. A infertilidade pode mesmo atrapalhar o sonho da maternidade mas ainda é possível realizá-lo! Agende uma consulta conosco! A medicina reprodutiva pode te ajudar.

Faça seu agendamento

Proporcionamos um atendimento exclusivo exatamente como você merece.

AGENDE SUA CONSULTA
ENTRE EM CONTATO

Alguma dúvida sobre fertilidade?
Fale conosco

Comunicado

SARS Cov-2 (COVID 19): vacinas, reprodução assistida e grávidas
• Posição atual conjunta •

03 de fevereiro de 2021

Grandes avanços dos estudos colaborativos incluem hoje pelo menos 85 vacinas pré-clínicas em investigação ativa em animais, 65 em ensaios clínicos em humanos, com 20 vacinas que chegaram aos estágios finais de testagem, sendo 12 já em uso em diferentes países/situações. As principais vacinas disponíveis estão constituidas por partículas de RNA mensageiro (Pfizer-Biontech e Moderna), vírus inativado (CoronaVac,Sinopharma e Covaxin, Bharat Biotech), com adenovirus (Oxford-AstraZeneca, Johnson&Johnson e Sputnik V, Gamaleya).

A pandemia segue, e neste momento a discussão se centraliza no uso das vacinas disponíveis e as pacientes submetidas às técnicas de reprodução assistida, grávidas e populações de risco entre as grávidas.

Nossas sociedades, avaliando também as diretrizes emitidas por sociedades mundiais como a ESHRE, a ASRM, a IFFS e a ACOG (SOGC), consideram que dentro da disponibilidade possível:

1) A vacinação tem efetividade e não induz a risco aumentado de contrair a infecção por Covid 19. Embora ainda não hajam estudos humanos de longo prazo sobre a vacinação contra Covid-19 e gravidez, nenhuma das vacinas contém vírus Sars Cov-2 vivo.

2) Para indivíduos vulneráveis,que apresentam alto risco de infecção e / ou morbidade por COVID-19, dentre os quais estão as grávidas, não receber a vacina supera o risco de ser vacinado, previamente ou durante a gravidez. Inclui-se ainda neste grupo os profissionais de saúde e aqueles outros, de linha de frente, com maior risco de exposição.

3) Não há razão para atrasar as tentativas de gravidez ou tratamentos de reprodução assistida quando de vacina não disponível ou se pacientes fora de grupos de risco.

4) Decisões da utilização (ou não) das vacinas devem ser compartilhadas entre pacientes e médicos, respeitando-se os princípios éticos de autonomia, beneficência e não maleficência.

5) Esta informação sobre vacinas deve ser incluidas como um termo específico em um consentimento informado já existente. Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA

6) Seguirão atualizações, a cada momento que novos conhecimentos solidifiquem os dados atuais.

  • REDLARA - Red Latinoamericana de Reproducción Asistida
  • SBRA - Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
  • SAMeR - Sociedad Argentina de Medicina Reproductiva
  • AMMR - Asociación Mexicana de Medicina de la Reproducción
  • PRONÚCLEO - Associação Brasileira de Embriologistas em Medicina Reprodutiva
  • SAEC - Sociedad Argentina de Embriología Clínica
  • SOCMER - Sociedad Chilena de Medicina Reproductiva
  • ACCER - Asociación de Centros Colombianos de Reproducción Humana
  • SURH - Sociedad Uruguaya de Reproducción Humana
  • AVEMERE - Asociación Venezolana de Medicina Reproductiva y Embriología

Referências
10
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x